UM PANORAMA GERAL SOBRE OS AGROTÓXICOS

Aqui, no ÚLTIMAS DO BLOG Revita, recicladora de embalagens longa vida, falamos bastante sobre os agrotóxicos e como isso afeta de maneira drástica nossa saúde e meio ambiente. Decidimos nos aprofundar mais uma vez neste tema e falar um pouco mais sobre esses produtos agrícolas e seus males.

A primeira pergunta que devemos fazer é:

Existe a maneira correta de plantar certos alimentos?

A forma orgânica ou com agrotóxicos, em grande ou pequena escala, possuem seus lados positivos e negativos.

Se pensarmos no orgânico, o grande problema que atormenta os grandes produtores é o tempo de conservação e o tamanho do legume, verdura ou fruta. Sem falar na grande quantidade de perdas de alimentos para ervas daninhas e insetos.

Além de serem muito pequenos (o que afeta no preço), eles não são tão duráveis comparado a um alimento manipulado com certos agrotóxicos. Porém, mesmo ajudando na conservação e no tamanho dos alimentos, esses produtos podem trazer sérios males a saúde.

Os agrotóxicos são produtos químicos usados na produção agrícola, manutenção de pastagens e proteção de florestas plantadas. Falando pelo lado da legislação brasileira, todos os produtos biológicos e orgânicos com o mesmo fim também são considerados agrotóxicos.

A base é chamada de princípio ativo. Quando ele é feito de apenas uma base ou misturado a outros, vai dar origem aos produtos que serão vendidos para os agricultores. Eles podem ser líquidos ou sólidos.

Essas substâncias mudam a composição da flora e da fauna para acabar com as ervas que “competem” com a plantação principal, além de fungos e insetos que podem danificar essa lavoura.

Basicamente você ingere algo com composto químico…

…e é isso que causa tanta polêmica em cima do assunto.

Na visão de ambientalistas, estamos falando sobre um produto químico que muda a naturalidade do ecossistema de onde ele é aplicado, o que cria uma população de insetos, bactérias e ervas daninhas que não são necessariamente próprias da região.

Se for mal aplicado, o agrotóxico também pode atingir lavouras vizinhas, criando problemas para produções orgânicas ou, até mesmo, matar plantações e florestas sensíveis ao produto químico. Isso sem contar os riscos que os trabalhadores rurais correm se o produto não for usado da maneira correta.

Indo mais afundo, o veneno mal utilizado pode ser responsável pela morte de abelhas, insetos importantíssimos para garantir a polinização das plantas, um processo fundamental no ciclo da agricultura. Podemos ver vários outros pontos como poluição em rios, danificação e morte do solo, entre outros. Ou seja, é muito mais malefícios do que benefícios.

Falando sobre a comida, o pesticida, algumas vezes, fica apenas na casca do produto, podendo ser eliminado em uma lavagem. Em outras situações, ele age dentro do organismo da planta e de seus frutos, e não é possível eliminar 100% desse residual.

No Brasil, existe uma legislação que define limites seguros para a ingestão desses resíduos. Mas quem é contra o uso dos pesticidas afirma que não existe nenhuma prova científica que garanta que consumir resíduos de agrotóxicos em níveis considerados seguros pela lei evita efeitos colaterais.

Segundo a OMS, 3% dos trabalhadores expostos a agrotóxicos sofrem algum tipo de intoxicação. Estima-se que, anualmente, ocorram cerca de 3 milhões de casos agudos no mundo, mais de 700 mil casos de efeitos adversos, como distúrbios neurológicos e físicos, além de cerca de 80 mil casos de câncer e 220 mil mortes.

E como é visto o Brasil nesses casos?

Este tipo de atividade no Brasil nos faz um dos países campeões do mundo no consumo dos agrotóxicos. Calcula-se que o faturamento do setor agroquímico apresentou, no período correspondente aos anos de 2002 e 2004, valores entre R$ 1,2 bilhão e R$ 4,4 bilhões.

De acordo com dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), alguns alimentos comuns na mesa dos brasileiros, como pimentão, cenoura, morango e uva, apresentam altos índices de resíduos de agrotóxicos. Nesse caso, estamos perdendo essa luta.

Não condenamos o uso de agrotóxicos, mas sim o seu uso exagerado. Certos donos de terras, criam e procuram brechas para usar aquilo que não é necessário. São essas atitudes irresponsáveis que fazem o Brasil ser o 7° pais que mais consume agrotóxico no mundo. #repense

« Voltar ao blog

A Revita

A Revita é uma empresa recicladora de embalagens longa vida pré e pós-consumo que reintegra celulose, alumínio e plástico à cadeia produtiva de diversos segmentos industriais.
É uma desenvolvedora de soluções ambientais. Na Revita tudo sempre fica Novo, de Novo.

Quer receber notícias sobre sustentabilidade, reciclagem, entre outros?

Cadastre aqui seu e-mail!

selo FSC

A Revita possui o selo FSC®️ (Forest Stewardship Council®️ ou Conselho de Manejo Florestal). O rótulo FSC®️ no Revitacel assegura o uso responsável dos recursos florestais do mundo! Clique aqui para fazer o download da nova política FSC.