DICAS PARA UM CONSUMO SUSTENTÁVEL

Crescimento econômico, globalização, meio ambiente, qualidade de vida, desenvolvimento e consumo sustentável, são alguns temas relacionados à sobrevivência humana frequentemente debatidos no mundo todo.

Por isso, sempre que nos deparamos com alertas ou campanhas envolvendo sustentabilidade ambiental, uma dúvida martela nossa cabeça: como praticar o consumo sustentável sem abrir mão do conforto?

Responder essa pergunta exige uma reflexão sobre o custo que estamos dispostos a pagar, para o benefício  que pretendemos manter ou obter.

Uma análise sobre custo e benefício na prática do consumo sustentável

De maneira muito simplificada, devemos nos lembrar que os recursos naturais disponíveis na natureza, e essenciais para nossa sobrevivência – como a água que consumimos, ar que respiramos, condições climáticas favoráveis ou as diferentes formas de vida presentes na natureza -,  ao contrário do que se acreditava no passado, não são infinitos, logo, possíveis de serem extintos se não os preservarmos.

A poluição gerada pela atividade humana coloca em risco esses recursos. O consumo irresponsável e o descarte inadequado dos nossos resíduos agravam fortemente esse risco, por isso, devemos sempre pensar globalmente e agir localmente.

Portanto, qualquer evento, ocorrência ou ação nossa, que contribua para a indisponibilidade desses recursos ou aumento da poluição sobre eles, deve ser classificado como alto custo.

A garantia da vida, com qualidade, para nós e para nossos filhos é o benefício maior que podemos obter através do consumo sustentável, e, portanto, deve ser classificado como alto benefício.

Voltando a falar sobre conforto x consumo sustentável

O objetivo desse texto é convidar a todos a uma reflexão para a prática do consumo consciente, tentando demonstrar que os “sacrifícios” exigidos nessa prática, quando abrimos mão do conforto aos quais nos acostumamos, são infinitamente menores, quando comparados aos benefícios obtidos com a preservação do meio ambiente, da natureza e da nossa vida.

Para que possamos pensar sobre as alternativas, listaremos abaixo algumas práticas comuns de consumo consciente para orientar nossas escolhas.

  • Antes de comprar um novo produto, certifique-se da sua real necessidade
  • Não troque o produto apenas porque saiu uma versão mais nova!
  • Seja mesquinho ao consumir descartáveis (copos, talheres, pratos, etc) e evite a geração de resíduos. Sempre que possível, opte pelas versões reutilizáveis – vidro, metal, porcelana.
  • Substitua sacos e sacolas descartáveis por retornáveis
  • Pesquise seus fornecedores e opte por aqueles que se preocupam com sustentabilidade e demonstrem práticas ambientais
  • Pesquise formas e reduza seu gasto atual de água potável
  • Capte e reutilize água da chuva em demandas não potáveis
  • Desligue da tomada aparelhos elétricos e eletrônicos que permanecerem por longo tempo inativos
  • Opte por adquirir eletrodomésticos, aparelhos elétricos e eletrônicos após verificar e comparar o consumo de energia, buscando pelo selo Procel.
  • Avalie se o que é cobrado pelo consumo de água condiz com sua expectativa, investigando e eliminando eventuais vazamentos.
  • Instale painéis de energia solar; a natureza e seu bolso agradecem
  • Aposente as lâmpadas incandescentes e passe a utilizar somente as econômicas
  • Recicle seus resíduos sólidos (papéis, plásticos, metais, vidro), mantendo-os separado do lixo comum (orgânico), destinando-os da maneira adequada. Identifique cooperativas parceiras de empresas recicladoras e doe seus materiais recicláveis
  • Opte sempre por produtos com refis, evitando o excesso de embalagens
  • Ao adquirir móveis para a casa ou madeiras para construção, verifique sua procedência, optando por aquelas com selo de certificação
  • Diminua/reduza a poluição utilizando produtos biodegradáveis e/ou receitas caseiras para a limpeza da casa.  A internet auxilia você
  • Opte por consumir produtos cujos fabricantes estejam mais próximos da sua região. A logística será menor, bem como o consumo de combustíveis fósseis na entrega, e menor a poluição do ar
  • Pratique sustentabilidade como sua característica pessoal e incentive o próximo a fazê-lo também
  • Valorize produtos cuja fabricação consumiu energia limpa (não polui) de fontes renováveis (hidrelétrica, solar, eólica, biomassa, etc)
  • Antes de sair queimando combustível à procura de um produto, pesquise na internet ou contate o fornecedor por telefone, evitando o consumo de combustível e poluição do ar
  • Não descarte pilhas e baterias em lixo comum.
« Voltar ao blog

A Revita

A Revita é uma empresa recicladora de embalagens longa vida pré e pós-consumo que reintegra celulose, alumínio e plástico à cadeia produtiva de diversos segmentos industriais.