CORONAVIRÚS

O ano de 2020 começou com o impacto do coronavírus em um mundo sem fronteiras. Apesar do vírus ter surgido na China, a doença já atinge diversos países e isso é uma característica da globalização.

Nós da Revita decidimos falar um pouco mais sobre o assunto e como isso afeta não apenas a nossa saúde, mas também o meio ambiente.

No mundo globalizado, o espaço e o tempo passam a ter uma menor importância nas relações sociais e individuais, seja no plano nacional, regional ou mundial.

Com isso, queremos dizer que as pessoas hoje circulam cada vez mais, ou por turismo ou por negócios, motivos suficientes para espalhar o vírus pelos cinco continentes.

Um outro ponto igualmente importante em relação à atual propagação do coronavírus tem a ver com o meio ambiente. Nós vivemos uma época de uma profunda devastação DESENFREADA e uma falta de respeito das fronteiras naturais entre o homem e a natureza. Esse avanço das fronteiras entre o homem e o meio ambiente foi o que propiciou o contato humano com certos vírus.

Há uma relação indissociável entre a destruição do meio ambiente, a superação das fronteiras que sempre existiram entre o homem e o meio ambiente e a capacidade de que certos vírus desconhecidos possam afetar as relações humanas.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (nCoV-2019) foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Os tipos de coronavírus conhecidos até o momento são:

  • Alpha coronavírus 229E e NL63.
  • Beta coronavírus OC43 e HKU1
  • SARS-CoV (causador da Síndrome Respiratória Aguda Grave ou SARS).
  • MERS-CoV (causador da Síndrome Respiratória do Oriente Médio ou MERS).
  • nCoV-2019: novo tipo de vírus do agente coronavírus, chamado de novo coronavírus, que surgiu na China em 31 de dezembro de 2019.

Algumas informações sobre a doença… Novo coronavírus (nCoV-2019).

Como dissemos, o novo agente do coronavírus, chamado de novo coronavírus – nCoV-2019, foi descoberto no fim de dezembro de 2019 após ter casos registrados na China.

Atualmente, os casos estão espalhados pela China, Ásia e em algumas partes da Europa. No Brasil, nenhum caso considerado suspeito foi confirmado.

Segundo os laboratórios da cidade Huwan, onde se iniciou a propagação do vírus, não se tem ainda uma cura para essa nova doença e ainda não se sabe como foi feito a transmissão do vírus. Estudos sugerem papel de morcegos e cobras na origem do coronavírus.

Um estudo na revista “Science China Life Sciences”, patrocinado pela Academia Chinesa de Ciências de Pequim, analisou a relação entre a nova cepa e outros vírus. O estudo aponta que o coronavírus está estreitamente relacionado a uma cepa existente em morcegos.

O fato de os morcegos serem os hospedeiros nativos do Wuhan CoV (coronavírus) seria um raciocínio lógico e conveniente, embora ainda seja provável que haja hospedeiros intermediários na rede de transmissão de morcegos aos seres humanos

Esse estudo não especulou sobre qual animal poderia ter sido um “hospedeiro intermediário”, mas um segundo estudo publicado no “Journal of Medical Virology” identifica as cobras como possíveis culpadas.

Para procurar um potencial reservatório do vírus, realizamos uma análise completa de sequências genômicas e comparações. Os resultados da nossa análise sugerem que a cobra é o reservatório mais provável entre os animais silvestres.

Até o momento sabe-se que o coronavírus é assintomático nos primeiros 14 dias e altamente contagioso. Quando os sintomas começam a aparecer, eles lembram muito uma gripe comum. Porém, com o agravamento e a falta de um remédio que mate o vírus, o quadro do infectado vai piorando ao decorrer do tempo que chega no pior estágio que são as complicações pulmonares que pode levar a pessoa contaminada ao óbito.

No o compromisso com a verdade, é importante lembrar e dizer que a transmissão foi por uma sopa de morcego é uma #fakenews como foi espalhado no início.

Nós da Revita, como uma recicladora de embalagem longa vida e uma empresa de soluções ambientais, precisamos alertar vocês sobre uma das principais pautas de saúde mundial nesse início de 2020.

Junto disso, mostrar que nós mesmos no colocamos nessa situação após rompermos o limite com o meio ambiente. #repense

« Voltar ao blog

A Revita

A Revita é uma empresa recicladora de embalagens longa vida pré e pós-consumo que reintegra celulose, alumínio e plástico à cadeia produtiva de diversos segmentos industriais.
É uma desenvolvedora de soluções ambientais. Na Revita tudo sempre fica Novo, de Novo.

Quer receber notícias sobre sustentabilidade, reciclagem, entre outros?

Cadastre aqui seu e-mail!

selo FSC

A Revita possui o selo FSC®️ (Forest Stewardship Council®️ ou Conselho de Manejo Florestal). O rótulo FSC®️ no Revitacel assegura o uso responsável dos recursos florestais do mundo! Clique aqui para fazer o download da nova política FSC.