30 ANOS PELA FRENTE

Em 2019 o mundo NOVAMENTE bateu o limite de extração dos recursos naturais anuais antes do tempo. Estatísticas dizem que desta forma, em 30 anos, o mundo como conhecemos chegará ao seu fim.

A Revita, como forma de reflexão, vem mostrar estudos do que deverá acontecer se continuarmos neste trajeto desenfreado sem praticar o consumo consciente.

 

ÁGUA

 

Segundo a ONU, mais de um 1 bilhão de pessoas no mundo, aproximadamente 18% da população mundial, não tem acesso a uma quantidade mínima de água. Sendo assim, se mantivermos o desperdício, a situação ficará cada vez pior.

Em 2025, 5,5 bilhões de pessoas, cerca de dois terços da população, terão dificuldade para ter acesso a água. Em 2050 poderá chegar ao seu ápice, afetando 75% da humanidade.

 

ALIMENTOS

 

Estimativas da FAO, instituição que controla a agricultura e pecuária dentro da ONU, diz que hoje em dia mais de 1 bilhão de pessoas passam fome mundialmente. Para que isso seja revertido, seria necessário que a produção alimentícia aumentasse em 70%.

Podemos aqui fazer uma reflexão… Ao invés de aumentar a produção, por que não paramos o desperdício?

O desperdício de alimentos de uma família brasileira, por exemplo, composta por três pessoas em um ano pode ultrapassar R$ 1.002,00, valor superior ao salário mínimo nacional. Os dados são de estudo liderado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que ouviu 1.764 famílias em todo o País, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), em 2018.

A pesquisa mostra que cada família desperdiça, em média, 128 quilos de alimentos por ano. Por pessoa, o desperdício de comida em casa atinge 41 quilos por ano – o equivalente a R$ 323.

Segundo dados da ONU, a América Latina desperdiça, em média, 127 milhões de toneladas de alimentos a cada ano.

Em valores, seriam cerca de US$ 97 bilhões. A entidade elencou como um dos objetivos de desenvolvimento sustentável a redução pela metade do desperdício de alimentos até 2030.

 

PETRÓLEO

 

Um dia o combustível fóssil mais usado do mundo irá acabar. Não sabemos quando, mas a Agência Internacional de Energia diz que o petróleo terá um pico de produção em 2035, depois sua queda será inevitável. A grande escassez do petróleo está marcada para o ano de 2050, podendo afetar quase dois terços do planeta, ou mais.

O uso de combustíveis fósseis tem sido um dos vilões da mudança climática, e apesar do crescente estudo sobre substitutos para o petróleo e seus derivados, nós ainda somos mais dependentes dele do que imaginamos.

 

O CLIMA

 

Por último, mas não menos importante, as mudanças drásticas no clima… O chamado CAOS CLIMÁTICO!

Com o aumento da camada de poluição que afeta diretamente o clima, o índice de temperatura do planeta chegará a níveis astronômicos. Em 2050, o planeta ficará 3 graus mais quente, o que acarretará o degelo dos árticos e de montanhas de grandes altitudes.

A partir de 2050, todas as zonas costeiras serão inundadas afetando mais de 300 milhões de pessoas devido ao aquecimento global. Indo mais além, com o aumento de temperatura em países que já são quentes por natureza como a África, por exemplo, as condições de vida se tornarão insuportáveis.

Parabéns a nós como humanidade! Estamos no caminho correto para a autodestruição. Se não mudarmos os nossos hábitos e não pararmos com este “capitalismo em primeiro lugar”, teremos pouco tempo neste planeta azul.

Nós da Revita começamos o ano de 2020 falando um pouco do nosso futuro. Do futuro se não nos conscientizarmos. =(

« Voltar ao blog

A Revita

A Revita é uma empresa recicladora de embalagens longa vida pré e pós-consumo que reintegra celulose, alumínio e plástico à cadeia produtiva de diversos segmentos industriais.
É uma desenvolvedora de soluções ambientais. Na Revita tudo sempre fica Novo, de Novo.

Quer receber notícias sobre sustentabilidade, reciclagem, entre outros?

Cadastre aqui seu e-mail!

selo FSC

A Revita possui o selo FSC®️ (Forest Stewardship Council®️ ou Conselho de Manejo Florestal). O rótulo FSC®️ no Revitacel assegura o uso responsável dos recursos florestais do mundo! Clique aqui para fazer o download da nova política FSC.