ENTENDA COMO FUNCIONAM AS COOPERATIVAS DE CATADORES

Estima-se que mais de 800 mil pessoas no Brasil garantam seu sustento por meio da reciclagem do lixo. Mas apenas 7,5% delas fazem parte de cooperativas de catadores.

As cooperativas de reciclagem (ou de catadores) foram criadas no Brasil a partir da década de 90, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida de toda uma categoria de trabalhadores, além de gerar mais renda e facilitar a inclusão social. No entanto, passadas três décadas da sua criação, o segmento reconhece que ainda há muito por fazer.

Embora seus cooperados façam tudo pela continuidade dos trabalhos, falhas de infraestrutura e organização continuam sendo as maiores dificuldades para seu crescimento e desenvolvimento.

Cooperativas de catadores – a operação

Focadas no tratamento dos materiais recicláveis e no envio desse material a empresas recicladoras, de modo geral, as cooperativas desenvolvem seu processo operacional baseando-se em 4 etapas:

Coleta: forma de dar entrada ao material reciclável nas cooperativas
Triagem: etapa onde o lixo reciclável recebido é separado por tipo e característica do material, seguido por sua armazenagem
Prensagem: conforme seu tipo, o material é prensado e enfardado, utilizando grandes prensas. Aqui, algumas cooperativas, considerando orientações recebidas das recicladoras, seguem procedimentos específicos em relação aos padrões e características de prensagem, amarração, peso e tamanho dos fardos.
Venda: onde o material é transportado e vendido às empresas recicladoras.

Organização das cooperativas

De forma superficial, podemos dizer que as cooperativas podem ser enquadradas em 3 patamares diferentes, que consideram sua organização estrutural e produtiva.

O primeiro representa cooperativas bem dimensionadas, com prensas, balanças, carrinhos e galpões próprios, além de capacidade de ampliação, visando absorver novos catadores. Estão prontas para a verticalização da produção de materiais recicláveis. As cooperativas desse patamar podem ser consideradas como importantes vetores de inclusão social.

No segundo, encontramos cooperativas com alguns equipamentos próprios, mas que precisam de apoio financeiro para conseguir novos equipamentos ou galpão. Encontram-se em fase intermediária, pois a falta de alguns instrumentos as impedem de expandir sua produção, tornando-se incapazes de absorver novos catadores.

Por fim, existem as cooperativas em processo de organização, que contam com poucos equipamentos de sua propriedade. Necessitam de apoio financeiro para adquirir a maioria dos instrumentos necessários ao trabalho e também galpão próprio. A formalização desse tipo de cooperativa possibilitará a absorção de novos catadores.

Equipamentos necessários a uma cooperativa de reciclagem

Prensa, balança, esteira de triagem, empilhadeira e caminhão para transporte são alguns exemplos de equipamentos necessários para a realização do trabalho em cooperativas de catadores. Alguns deles são necessários, inclusive, para seu crescimento e desenvolvimento.

A Revita é uma empresa recicladora de embalagens longa vida localizada em Telêmaco Borba-PR. Se você representa uma cooperativa de catadores, saiba como se tornar um fornecedor de matéria-prima e venha trabalhar conosco!

« Voltar ao blog

A Revita

A Revita é uma empresa recicladora de embalagens longa vida pré e pós-consumo que reintegra celulose, alumínio e plástico à cadeia produtiva de diversos segmentos industriais.