ÁREAS PROTEGIDAS: CONHEÇA SUAS CLASSIFICAÇÕES E DIFERENÇAS

Áreas Protegidas, ou reservas, são partes selecionadas de um território que ficam sob atenção e cuidado especiais, isso por possuir atributos diferenciados ou, até mesmo, únicos.

Segundo a WDPA (World Database on Protected Areas), a maior base de dados mundial existente sobre áreas protegidas, em outubro de 2016, existia no mundo um total de 217.155 delas (considerando-se o universo de 244 países e territórios), que podem ser classificadas em 5 categorias diferentes. São elas:

1. Área de Proteção Ambiental
São áreas extensas, com alguma ocupação humana, e dotadas de importantes atributos que preservam o ecossistema, fundamentais para a qualidade de vida e bem-estar das populações. Se considerarmos apenas as áreas de proteção ambiental exclusivas existentes atualmente no Brasil, uma vez que uma área de proteção pode estender-se por vários Estados brasileiros, temos 104 em nosso País.

2. Área de Relevante Interesse Ecológico 
São normalmente áreas pequenas, com características naturais extraordinárias e pouca ou nenhuma ocupação humana, mas com um conjunto de seres vivos de características físicas, químicas e biológicas do ambiente ecológico onde vivem.

3. Estação Ecológica
Áreas de posse e domínio públicos, cujo objetivo é a preservação da natureza e a realização de pesquisas científicas, que dependem de autorização do órgão responsável. Visitas públicas são autorizadas apenas com fins educacionais, de acordo com seu Plano de Manejo ou Regulamento Específico. As áreas particulares, incluídas em seus limites, geralmente são desapropriadas.

4. Reserva Biológica
Locais de preservação integral do conjunto de seres vivos existentes e demais atributos naturais existentes em seus limites. O Brasil possui cerca de 30 reservas biológicas federais, 23 estaduais e 7 municipais. As reservas federais são administradas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), enquanto que as estaduais, pelos órgãos correspondentes.

5. Reserva Extrativista
São áreas utilizadas por populações tradicionais, cuja sobrevivência baseia-se no extrativismo e, complementarmente, na agricultura de subsistência e na criação de animais de pequeno porte. Tem como objetivo proteger os meios da vida e cultura dessas populações, assegurando o uso sustentável dos recursos naturais da unidade. As áreas particulares, incluídas em seus limites, geralmente são desapropriadas.

Gostou de conhecer os tipos de reservas e áreas protegidas?  Continue acompanhando novidades das áreas de ecologia, sustentabilidade e natureza aqui no blog da Revita!

« Voltar ao blog

A Revita

A Revita é uma empresa recicladora de embalagens longa vida pré e pós-consumo que reintegra celulose, alumínio e plástico à cadeia produtiva de diversos segmentos industriais.